(10-10-2019) 173-A-2019

10/10/2019 19:05

Dispõe sobre a formação de equipes paralímpicas em eventos abertos para atletas Recursos Próprios

 

A Liderança de Seleções, no uso das atribuições que lhe foram conferidas pela Confederação Brasileira de Tênis de Mesa - CBTM, de acordo com o disposto no Estatuto desta Entidade e validado pela Gerência Técnica, RETIFICA  o procedimento para formação de equipes em eventos internacionais paralímpicos, quando houver exclusivamente atletas Recursos Próprios.

 

Quando houver as disputas abaixo a divisão será a seguinte:

 

  • Dois atletas: número mínimo de acordo com a regra da ITTF;
  • Três atletas: o atleta com ranking nacional e internacional mais baixo pode formar equipe com atleta de outro país, caso contrário terá que compor a equipe brasileira;
  • Quatro atletas: Os dois melhores atletas do ranking nacional formarão a equipe A e os outros dois atletas formarão a equipe B;
  • Cinco atletas: Os dois melhores do ranking nacional formarão a equipe A e os outros três formarão a equipe B (regra CBTM). Somente o atleta com ranking nacional e internacional mais baixo poderá formar equipe com atleta de outro país (regra ITTF) caso contrário terá que compor a equipe brasileira B;
  • Seis atletas: Os três melhores do ranking nacional formarão a equipe A e os outros três formarão  a equipe B (regra CBTM). Não é possível fazer três equipes com dois atletas brasileiros cada (regra ITTF). 
  • Caso exista junção de classes, a Comissão Técnica da CBTM definirá, logo após a divulgação oficial da lista de inscritos no site do IPTTC, a composição das equipes dos eventos afetados pela combinação das classes.

Observações:

 

  • Ranking nacional de referência será aquele do mês que acontece o evento.
  • Em caso de empate no número de pontos, o rating nacional do mês da competição será usado como critério de desempate.
  • Caso aconteçam mudanças no regulamento da ITTF para formação de equipes, a CBTM sempre irá acatá-las.
  • Casos não previstos nesta nota oficial serão avaliados pela Comissão Técnica da CBTM.

 

Esta nota oficial substitui todas as anteriores de mesmo conteúdo, como a 173-2019.

 

 

A Confederação Brasileira de Tênis de Mesa conta com recursos da Lei Agnelo/Piva (Comitê Olímpico do Brasil e Comitê Paraolímpico Brasileiro) - Ministério da Cidadania - Secretaria Especial do Esporte.

 

 

 

Este dispositivo passa a vigorar na data de sua publicação.