(28-11-2016) 172-A-2016

28/11/2016 16:31

Dispõe sobre as possíveis configurações das equipes na Copa Costa Rica 2016 – paralímpica

A Liderança de Seleções Paralímpicas, no uso das atribuições que lhe foram conferidas pela Confederação Brasileira de Tênis de Mesa – CBTM, de acordo com o disposto no Art. 4º, alíneas “a” e “c”, do Estatuto desta Entidade, divulga as possíveis formações de equipes para  a Copa Costa Rica 2016 – paralímpica. De acordo com o regulamento da ITTF-PTT, as formações de equipes devem seguir as opções conforme regulamento de competição, que pode ser visto no link: http://ipttc.org/rules/PTT%20Team%20composition_Rio.xlsx

Considerando a lista de inscritos na Copa Costa Rica (http://ipttc.org/calendar/2016/Costa%20Rica/Player%20list_Costa%20Rica.pdf), foram calculadas as possíveis disputas no torneio de equipes, com isto as possíveis formações de equipes brasileiras:

Equipes femininas: não haverá disputa de partidas por equipes feminina, pelo baixo número de atletas inscritas;

Equipe classe 01-03 masculina (7 atletas, sendo 3 brasileiros):

1 equipe x 3 atletas

Jean Padilha + Hemerson Kovalski + Bruno Braga;

1 x 2 atletas

Jean Padilha + Hemerson Kovalski, somente Bruno Braga poderia formar equipe com atletas de outros países;

Equipe classe 04-05 masculina (9 atletas, sendo 6 brasileiros)

2 equipes x 3 atletas

Atletas definem entre si as formações das equipes

1 x 3  +  1 x 2 atletas

Atletas definem entre si as formações das equipes, somente Renato Santos poderia formar equipe com atleta de outro país

2 x 2 atletas

Atletas definem entre si a formação das equipes, somente Renato Santos e Fabio Santos poderiam formar equipes com atletas de outros países, mas não poderiam formar uma terceira equipe.

Equipe classe 06-07 masculina: Somente Luiz Henrique Medina é representante do Brasil

Equipe classe 08-09 masculina (14 atletas, sendo 5 brasileiros)

1 equipe x 3  +  1 x 2 atletas

Atletas definem entre si as formações das equipes;

1 x 3 atletas

Nilson Oliveira + Flavio Seixas + Mario Ribeiro, somente Guilherme Ifanger e Alexon Piccolin poderiam formar equipe com atletas de outros países;

2 x 2 atletas

Atletas definem entre si a formação das equipes, somente Alexon Piccolin poderia formar equipe com atletas de outros países.

Equipe classe 10 masculina (9 atletas, sendo 5 brasileiros)

1 equipe x 3  +  1 x 2 atletas

Atletas definem entre si as formações das equipes;

1 x 3 atletas

Claudio Massad + Basilio Oliveira + Alexandre Alfon, somente Willian Almeida e Ricardo Narusawa poderiam formar equipe com atletas de outros países;

2 x 2 atletas

Atletas definem entre si a formação das equipes, somente Ricardo Narusawa poderia formar equipe com atletas de outros países.

Importante: é possível que as disputas de equipes não sigam o modelo indicado acima, pois:

  • Quatro atletas farão sua classificação funcional no evento;
  • Atletas de outros países podem decidir formar equipes entre si, afetando as possíveis disputas no masculino.
  • O atleta e presidente da Federação Alagoana de Tênis de Mesa, Flávio Seixas, será o representante da CBTM para congresso técnico e relacionamento com os organizadores.

Este dispositivo passa a vigorar na data de sua publicação.