Após ouro, seleção paralímpica usa período para 'corrigir erros' antes de Mundial de Equipes

12/05/2017 15:22
Treinador Raphael Moreira afirma que atividade vai ser importante para Bruna Alexandre, Danielle Rauen e Jennyfer Parinos aperfeiçoarem jogos
 
Da redação, no Rio de Janeiro (RJ) - 12/5/2017
 
O Campeonato Mundial Paralímpico de Equipes, que vai ter início na próxima quarta-feira (17), em Bratislava, na Eslováquia, se aproxima e Bruna Alexandre, Danielle Rauen e Jennyfer Parinos já estão no país-sede se preparando para a competição. Depois de ter conquistado o ouro por equipes na Classe 10 do Aberto da Eslovênia no último domingo (7), o trio está na cidade de Prievidza, ao lado do treinador da seleção paralímpica Raphael Moreira, que salienta a importância dessa atividade pré-Mundial.
 
"Está sendo muito importante esse período de treinamentos, porque, depois de vir de uma competição, a gente consegue enxergar algumas coisas que podem ser mudadas nos jogos de cada atleta e nisso que a gente está tentando trabalhar para corrigir o que erramos na Eslovênia", analisou Raphael.
 
Na cidade, que fica a 184 km da capital eslovaca e cidade-sede do Mundial, Bratislava, as brasileiras estão tendo a oportunidade de praticar com mesatenistas de outros países, o que Raphael vê como algo bastante positivo para o desempenho delas na competição que começa na quarta-feira.
 
"Estão outras equipes aqui: Japão, Grã-Bretanha e alguns atletas da Eslováquia. Isso é bom, porque podemos treinar com jogadores diferentes, principalmente, quando estamos treinando as duplas", disse o treinador.
 
O técnico ainda fez questão de elogiar o espaço em que estão usando para realizar os treinamentos.
 
"É um centro de treinamento muito novo, foi inaugurado há apenas oito meses. Aqui é muito bom, a acomodação é excelente, os quartos são muito bons, o espaço de treinamento é tudo muito novo, está tudo excelente por aqui", enalteceu.
 
No Aberto do Eslovênia, Bruna Alexandre e Jennyfer Parinos disputaram a sua primeira competição desde a disputa dos Jogos Paralímpicos Rio 2016. Danielle Rauen já havia disputado o Jogos Parapan-Americanos de Jovens, que foi disputado em março, na cidade de São Paulo (SP).
 
A Confederação Brasileira de Tênis de Mesa conta com recursos da Lei Agnelo/Piva (Comitê Olímpico do Brasil e Comitê Paralímpico Brasileiro) – Lei de Incentivo Fiscal e Governo Federal – Ministério do Esporte.
 

Siga a CBTM nas redes sociais:

FACEBOOK: www.facebook.com/cbtenisdemesa
TWITTER: www.twitter.com/cbtm_tm
INSTAGRAM: @cbtenisdemesa

iDigo | Assessoria de comunicação CBTM
imprensa@cbtm.org.br