Atletas poderão passar por reclassificação funcional durante o Brasileiro

04/10/2013 17:08

O Líder de Seleções Paralímpicas da CBTM, Victor Lee, divulgou uma Nota Oficial na semana passada com informações sobre o processo de reavaliação de classificação funcional que acontecerá durante o 44º Campeonato Brasileiro, que será realizado entre os dias 29 desse mês e 03 de novembro.

Caso algum atleta tenha interesse em ser reavaliado, o mesmo deverá enviar e-mail para victor@cbtm.org.br, até a próxima sexta-feira, dia 04 de outubro. Para ver os parâmetros para pleitear reavaliação de classificação funcional os atletas devem conferir a Nota Oficial 072-2013.

Em Bento Gonçalves haverá classificadores funcionais a disposição dos clubes e atletas Paralímpicos para ratificar as avaliações dos classificadores regionais. Para realização dos exames o atleta deverá apresentar laudos anteriores, vestir-se adequadamente para avaliação, portar a raquete e qualquer equipamento utilizado para jogar.

Além disso, o atleta deve apresentar também o Cartão de Classificação Funcional Nacional. Será permitida a presença apenas do técnico ou acompanhante durante o exame de avaliação.

Segundo o Comitê Paralímpico Brasileiro, a Classificação Funcional permite igualar a competição entre indivíduos com diferentes deficiências. Os números de classes são determinados de acordo com o respectivo esporte, e possíveis habilidades funcionais em atletas com diferentes deficiências.

A necessidade de troca de classe deve ser revista constantemente com base nas diferenças funcionais e no desempenho, ou seja, quando um atleta começa a competir, ele recebe uma classe que pode ser revista ao longo de sua carreira, seja em função de uma deficiência degenerativa ou mudança de parâmetros.

--- Pedidos de protesto de atletas paralímpicos deverão partir somente de clubes, e não serão aceitos protestos vindos de outros atletas, técnicos, ou quaisquer outras pessoas que não sejam dirigentes de clube. Os clubes deverão enviar arquivo preenchido até 08 de outubro de 2013 --- explicou Victor Lee.

A Confederação Brasileira de Tênis de Mesa conta com recursos da Lei Agnelo/Piva – Lei de Incentivo Fiscal e Governo Federal – Ministério do Esporte.