Auxiliar de arbitragem comanda as atividades na escola Silveira Sampaio

20/03/2013 11:08

Para garantir o sucesso do Sacando para o Futuro, uma das mais importantes ações da CBTM, professores de Educação Física foram selecionados e tiveram que fazer o curso Nível I da ITTF promovido pelo especialista Nelson Machado.

No bairro de Curicica, em Jacarepaguá, na escola Silveira Sampaio, uma das 30 espalhadas pelo Rio de Janeiro que já são atendidas pelo projeto, quem comanda as atividades é Wendel de Paiva (direita), supervisionado por Norton de Carvalho.

O professor já praticou Tênis de Mesa e disse que só não continua participando até hoje dos eventos promovidos pela CBTM por falta de tempo, pois além de escola também trabalha como auxiliar de arbitragem em jogos de futebol, o popular bandeirinha.

--- Comecei a jogar Tênis de Mesa na década de 80, no colégio Júlio Mesquita Filho, em Cascadura, com Márcio Aragão, que na época fazia parte da Seleção Brasileira Juvenil. Gostaria muito, mais não tem como participar dos eventos, pois sou escalado para jogos praticamente todo final de semana --- explicou.

Wendel trabalha na Silveira Sampaio desde 2003 e implantou o Tênis de Mesa nas aulas de educação física. Apesar da falta de estrutura, que agora com o projeto Sacando para o Futuro deixou de ser problema, conseguiu resultados expressivos entre as escolas públicas.

--- Conseguimos nove títulos estaduais em competições estudantis, classificamos atletas para eventos nacionais e cinco deles se destacaram tanto que ganharam bolsa de estudos em colégios particulares --- lembra o professor.

--- Isso tudo pode garantir a possibilidade de um futuro melhor, mas o principal objetivo desse projeto é manter os meninos e meninas o maior tempo possível dentro da escola, afastados das más companhias e longe das drogas --- completou.

As aulas comandadas por Wendel acontecem três vezes por semana, sendo que há uma programação específica para aqueles que se destacam. Se nos campos atua como auxiliar, nas mesas a situação se inverte e para ajudá-lo na função outro professor da escola, Jorge Rodrigues, recebeu um treinamento especial.

--- Nunca tive nenhum contato com Tênis de Mesa, mas com a ajuda do Wendel comecei a aprender e agora posso ensinar e orientar melhor os alunos --- explicou.

A Confederação Brasileira de Tênis de Mesa conta com recursos da Lei Agnelo/Piva – Lei de Incentivo Fiscal e Governo Federal – Ministério do Esporte.

Leia também:

Projeto Sacando para o Futuro já atende a mais de mil crianças no Rio de Janeiro 

Diretora da Escola Silveira Sampaio comemora vitória sobre a criminalidade 

"Brinquedo novo" aumenta o interesse dos alunos pelo Tênis de Mesa