Chinesa naturalizada brasileira quer fazer história em Londres

28/05/2012 16:57

Gui Lin nasceu na China e tem o Tênis de Mesa no sangue. Chegou ao Brasil aos 12 anos para realizar um intercâmbio estudantil e passou a morar em São Bernardo do Campo, um dos principais centros da modalidade no país, onde conheceu Hugo Hoyama, que ficou encantado com o seu talento e passou a lhe dar algumas orientações, transformando-se logo em seguida em seu treinador.

Antes de conseguir sua naturalização, em um longo processo, Gui Lin só podia participar do Rating, onde os jogadores são divididos por nível técnico. A atleta sempre teve um rendimento muito acima da média e desde 2008 conquistou sete medalhas de ouro no Rating A e outros quatro títulos no Campeonato Brasileiro.

Mesmo sem ter sua situação regularizada, Gui Lin recebeu autorização da Federação Internacional para disputar etapas do Circuito Mundial Juvenil. Em 2011, a atleta conquistou duas medalhas de ouro no Torneio de Duplas na Itália e Coréia, em parceria com Caroline Kumahara, além do bronze no Individual, também na Itália.

Ainda no ano passado, Gui Lin ficou com o bronze no Sub-21 da Copa ITTF Latino-Americana, e recentemente conseguiu o mesmo desempenho no Aberto do Chile. Graças a esses resultados, a Comissão Técnica da Seleção decidiu levá-la para os Jogos Olímpicos de Londres, já que o Brasil também participará do Torneio de Equipes como representante Latino-Americano, e uma vaga estava em aberto. Lígia Silva e Caroline Kumahara já estão classificadas para o Individual.

A indicação de Gui Lin faz parte de um planejamento que visa resultados a longo prazo, por se tratar de uma atleta com apenas 18 anos de idade, que tem potencial e talento para continuar evoluindo até os Jogos Olímpicos de 2016, quando poderá estar entre as melhores 50 melhores do mundo, na visão dos especialistas.

--- Rumo Londres! Obrigada por tudo mais uma vez! Essa vaga dedico a todas as pessoas que sempre estiveram ao meu lado torcendo por mim!!! Obrigada meus amigos!!! Vocês fazem a parte!!! Farei o máximo para honrar o Brasil! --- vibrou a atleta, na foto abaixo recebendo o passaporte brasileiro na sede da Plícia Federal, em São Paulo.