Competição em Registro é considerada a melhor de todos os tempos

19/01/2013 16:07

A Comissão Organizadora do Intercolonial foi formada em 1991 após o pedido de afastamento do então Presidente Gillberto Kosaka. Atualmente é composta por  Marcos Yamada, Sergio Ueda, Fabio Shiray, Aide Kudo, Sueli Morita, Cid Furuyama, Alessandro Shirahigue e Carlos Makiuchi.

Nesses 22 anos o grupo vem trabalhando com empenho para o sucesso de um dos maiores eventos de Tênis de Mesa da América Latina, e com certeza um dos mais antigos, que mantém a tradição de 63 anos.

Todos trabalham voluntariamente com prazer durante meses para ajudar a comunidade. Essa festa de confraternização, que em 1951 começou a organizar o campeonato, tem mudado seu padrão e, há dez anos, criou a categoria livre para os atletas que não são descendentes também poderem participar.

Pessoas do interior de São Paulo e Paraná, que vivem na lavoura em cidades como Tapiraí, Pilar do Sul, Tupã, Piracaia, Itupeva, Colônia do Pinhal, Assai, entre outras, mostram a importância desse encontro anual, já que são altas as despesas para participar da competição.

Mesmo assim continuam prestigiando o evento com dedicação e assiduidade para manter acessa a chama implantada pelos antepassados.

A função do torneio é nobre, pois além de fomentar a prática e a massificação da modalidade, mostra que através do esporte muitos poderão ter uma formação digna de cidadão, longe das drogas e más companhias, unindo famílias e praticando uma atividade saudável.

--- A cada ano, com a ajuda de todos, estamos conseguindo nos superar. Fico feliz com o reconhecimento, pois já ouvi muita gente no ginásio dizendo que esse é o melhor Intercolonial da história. O trabalho começa no dia 1º de fevereiro e se estende pelo ano inteiro. Não é fácil, mas é gratificante --- afirmou Marcos Yamada.