Domingos Sávio é o novo Coordenador da Seleção Olímpica de Masters

23/09/2013 16:07

A Gerente Geral de Operações e Relações Externas da CBTM, Walquiria Lima San-Thiago, divulgou no início do mês uma Nota Oficial nomeando Domingos Sávio, do Sport Club Recife, como Coordenador da Seleção Olímpica de Masters. A partir da publicação, o planejamento e execução das ações, viagens, eventos, cursos, treinamentos e afins desta categoria serão geridos por ele, com validação da gerência.

Domingos Sávio (segurando a bandeira) começou a praticar o esporte em 1979, na Universidade Católica de Pernambuco, quando cursava engenharia civil, por diversão. A brincadeira começou a se tornar séria quando o técnico da Unicap, Anderson Mobre, que o viu jogando e achou que poderia integrar sua equipe. Naquela época, Domingos praticava natação, mais no ano seguinte acabou trocando de modalidade.

O novo Coordenador da Seleção Olímpica de Master tem na bagagem a experiência de mais de 12 anos como dirigente da Federação Pernambucana de Tênis de Mesa, foi vice-presidente regional por diversas vezes e vice-presidente na chapa com Alaor Azevedo na década de 1990. Trabalhou também como coordenador de eventos na região Norte/Nordeste e tive chefiou a delegação do Brasil no Sul-americano em Valença, na Venezuela, em 1994.

Ping-Pong com Domingos Sávio

Imprensa CBTM - Qual será o seu papel como coordenador de masters?

DOMINGOS SÁVIO - Minhas funções são várias, mais principalmente serei um elo com a CBTM. Acredito que podemos colaborar e contribuir muito com o desenvolvimento, crescimento e massificação do nosso esporte no Brasil. Com certeza meu papel é dar um maior apoio e organização a categoria (fui um dos primeiros a acreditar na categoria Masters e que teríamos uma grande participação, no último brasileiro fomos 109 atletas), como é já feito pela CBTM nas categorias menores e principal do país. Vamos atender os anseios da categoria, visando melhorar a participação dos Masters nos eventos nacionais e fora do país. Temos que procurar estimular as federações e clubes do país, aqueles principalmente que não tem essas categorias, a criarem o Masters. Teremos uma seleção principal, que deverá ter um técnico e talvez um coordenador técnico. Serei o chefe da delegação, que acompanharei nos eventos fora do país (em mundiais, nos Latinos, Sul-americanos, nas Olimpíadas Masters 2017 Nova Zelândia) e participarei juntamente com o técnico da convocação, através de criação de critérios pré-estabelecidos.

Imprensa CBTM - O que deve ser feito para atrair um número maior de praticantes?

DOMINGOS SÁVIO - Vamos tentar atrair mais praticantes mostrando a importância que o esporte tem para cada um e para sua própria saúde individual. Através desta  prática esportiva vamos estimular as federações e clubes a criarem a categoria de atleta Master; vamos diminuir as faixas de idade para de cinco em cinco anos (por exemplo-50 a 54 anos, 60 a 64 anos ,45 a 49 anos), assim vamos premiar mais gente e tornar mais justa a competição; vamos tentar criar o  rating  só  dos Masters (mais justo), facilita a ter uma participação  geral  maior, já que os meninos estão  cada vez mais  rápido e melhores tecnicamente e fisicamente, dificultando a nossa participação no Rating  normal. Temos também a ideia de criação de palestras, cursos e clínicas de treinamento só para a categoria. Com certeza temos interesse de melhor; criar critérios técnicos, criar um calendário  próprio com datas e eventos separados (com  outras atrações, programação de festas, churrascos, jantares dançantes, turismo ,entre outras  coisas); estabelecer parcerias com centros de treinamentos pelos estados do Brasil.

A Confederação Brasileira de Tênis de Mesa conta com recursos da Lei Agnelo/Piva – Lei de Incentivo Fiscal e Governo Federal – Ministério do Esporte.