Eduardo Tomoike é o mais jovem atleta do país a ter contrato com a Butterfly

26/11/2012 15:13

Ainda é cedo para dizer que o pequeno Eduardo Tomoike já está entre os maiores ídolos da história do Tênis de Mesa brasileiro, mas todos os astros da modalidade tiveram um início e o atleta do Itaim Keiko vem mostrando com resultados expressivos, a cada competição, que tem talento para um dia ser comparado a astros como Hugo Hoyama, Cláudio Kano e Ubiracy da Costa, o Biriba.

Com apenas 11 anos, Eduardo Tomoike, o Dudu, já conquistou quatro títulos em competições internacionais, sendo Bicampeão Sul-Americano e Bicampeão Latino Americano Individual. O jovem atleta foi campeão Sul-Americano Individual em 2011, no Paraguai, Campeão Latino Americano, também em 2011, na Guatemala, Campeão Sul-Americano esse ano no Peru, e sua última conquista do Latino-Americano da Venezuela.

Dudu possui um retrospecto positivo impressionante e tem tudo para se tornar um novo ídolo brasileiro e entrar para história do esporte mundial. Pelo menos essa é a opinião de Marcos Yamada, um dois mais respeitados especialistas do país, que descobriu Dudu e conseguiu convencer os pais dele, Tadashi e Miriam, que o filho deveria abandonar o judô para se dedicar exclusivamente ao Tênis de Mesa, há quatro anos.

--- Além da humildade, Dudu tem um carisma que lhe e peculiar, sempre sorridente e amigo de todos --- explicou Marcos, feliz em constatar que o menino vem evoluindo a cada temporada e voltou para casa muito emocionado com a conquista de mais um titulo para o Brasil.

O talento de Dudu é notável e a confiança é tanta que o menino se tornou o mais jovem atleta do país a ter um contrato com a maior empresa do mundo em materiais de Tênis de Mesa, a "Butterfly Japan", cujo representante na América Latina é justamente Marcos Yamada, que faz questão de lembrar com orgulho e satisfação da campanha excepcional conseguida em sua primeira competição fora do Brasil.

--- No primeiro Sul-Americano, Dudu venceu 45 sets e perdeu apenas um. Na Guatemala venceu 35 e perdeu quatro sets; no Peru venceu 36 e perdeu três e na Venezuela saiu com um saldo de 36 sets a favor e cinco sets contra. No total foram 47 vitorias e apenas uma derrota, com 152 sets a favor e 13 contra, um número fantástico para um garoto de 11 anos --- lembrou Marcos Yamada.