Entrosamento da juventude resulta em grande participação no Mundial de Veteranos

01/08/2018 12:53

Nem mesmo o afastamento de quase 40 anos foi capaz de acabar com o entrosamento de Celso Toshimi e Hideyoshi Tanaka

 

São Paulo (SP), 1º de agosto de 2018.

Por: Assessoria de Comunicação - CBTM

Uma das principais armas em um jogo de duplas de tênis de mesa é o entrosamento. Mas como manter esse entrosamento após quase 40 anos de afastamento? Celso Toshimi e Hideyoshi Tanaka provaram recentemente, no Mundial de Veteranos, em Las Vegas (EUA), que o talento e o conhecimento são capazes de operar milagres.

Essa dupla participou dos Jogos Estudantis, pela seleção paranaense, em 1981. De lá para cá, a vida traçou destinos diferentes para os dois jovens. Tanaka morava em Bandeirantes, Toshimi em Curitiba. Hoje, o primeiro reside em Santa Catarina e o segundo em São Paulo.

“A gente sempre combinava de voltar a jogar juntos, mas nunca dava para treinar. Até que, no ano passado, eu o convidei para jogar dupla no Mundial de Veteranos e ele topou”, lembra Tanaka, hoje com 53 anos, treinando no Itaim Keiko (SP).

E aí você pensa que está resolvido o problema. Eles passaram a treinar e se preparar para o Mundial, certo? Errado. A reunião dos dois só aconteceu na véspera, já em Las Vegas.

“Fizemos um treino com o pessoal, depois fomos para a competição. E acho que não fomos mal, né?”, revela Tanaka.

Nos treinos, eles não foram páreo para ninguém. Na competição da categoria 50 a 54 anos, ultrapassaram a fase de grupos, batendo os americanos Aleksander Kheyfets e Yuri Smirnoff e os suecos Peter Johansson e Per-Anders Källberg.

Na fase de 64, vitória sobre a dupla formada pelo belga Bernard Lemal e o francês Cornel Stoica. Na etapa seguinte, bateram os chineses Weiguo Chen e Yong Song, por 3 a 0, com direito a um épico 22 a 20 no terceiro set. Nas oitavas, vitória sobre os suecos Jan Martensson e Magnus Trygg. Só foram superados nas quartas, pelos alemães Bruno Lehmann e Achim Stoll, em jogo onde os brasileiros perceberam a interferência do técnico alemão na hora dos saques, o que desconcentrou totalmente a dupla.

Os “pouco entrosados” realizaram a melhor campanha entre as duplas brasileiras no Mundial. Emiko Moreira e Marlene Takahashi pararam nas oitavas de final da categoria 75. Natalia Pereira e Satiko Mori, na categoria 70, Paulo Augusto Martinez e Fabio Mizutani, na categoria 45, foram eliminados na fase de 32. As duplas Normando Alencar/Luiz Vasconcelos (40), José Bezerra Araújo/Francisco Batista (65), Robson Nakamura/Wilson Ozawa (45) e Charley Suzuki/Fabian Noda (40) ficaram na fase de 64. João Carlos Irigoyen e Renato Simões não chegaram na fase dos 64 melhores da sua categoria.

Será que eles voltam a jogar somente daqui a 40 anos ou vão manter a dupla mais entrosada em busca de medalhas no próximo Mundial? O tempo dirá...

 

A Confederação Brasileira de Tênis de Mesa conta com recursos da Lei Agnelo/Piva (Comitê Olímpico do Brasil e Comitê Paralímpico Brasileiro) - Lei de Incentivo Fiscal e Governo Federal - Ministério do Esporte.
 

FATO&AÇÃO COMUNICAÇÃO

Assessoria de Comunicação da Confederação Brasileira de Tênis de Mesa - CBTM

Claudia Mendes – claudia@fatoeacao.com

Nelson Ayres – nelson@fatoeacao.com

imprensa@cbtm.org.br

fatoeacaocomunicacao@gmail.com

                                                         

Siga a CBTM nas redes sociais:
 
FACEBOOK:
 www.facebook.com/cbtenisdemesa

TWITTER: www.twitter.com/cbtm_tm

INSTAGRAM: @cbtenisdemesa