Equipe de arbitragem a altura da importância das Paraolimpíadas Escolares

22/10/2012 10:41

Os atletas são os protagonistas do espetáculo, mas sem a presença de um árbitro para decidir quem tem razão em um lance polêmico, muitas vezes a disputa poderia até nem terminar. A importância desses profissionais é indiscutível.

A Confederação Brasileira de Tênis de Mesa se orgulha em ter um quadro de arbitragem respeitado internacionalmente, referência para os demais países da América Latina, e mais uma vez a equipe mostrou eficiência na realização um excelente trabalho.

Para as Paraolimpíadas Escolares foi escalado um grupo a altura da importância da competição, que incluiu até o Coordenador Nacional de Arbitragem da CBTM, Adalberto Ferraz.

Além dele foram convocados Hugo Suzuki, vice-presidente da Federação Paulista, que foi o Árbitro Geral, Marco Aurélio Mancini, Presidente da Federação Espírito Santense, Silvio Marola, Roque Faga Filho, Roberto Rogelia, Raimundo Barjonas e Jose Eduardo de Marcos.

Fernando Mualen atuou como secretário e, além disso, demonstrou aos atletas e técnicos o funcionamento do aparelho que detecta o "doping" de raquetes. No total foram disputadas 177 partidas e todos saíram com a sensação de dever cumprido.

Agora o próximo desafio da turma é ajudar na realização do maior Campeonato Brasileiro de todos os tempos, em Piracicaba, com as presenças de mais de mil atletas Olímpicos e Paraolímpicos e 49 árbitros.