Fama do lendário Biriba teve início no Cinquentenário da Colonização Japonesa

20/01/2013 10:44

Durante a cerimônia de abertura do 63º Campeonato Brasileiro Intercolonial de Tênis de Mesa, realizado no município de Registro, no Vale do Ribeira, em São Paulo, Ubiraci da Costa, o Biriba, foi homenageado pelos organizadores.

A história dessa figura lendária impressiona e todos se questionam o que teria interrompido a carreira de um jovem tão promissor, que aos 13 anos venceu dois campeões mundiais e se tornou um fenômeno.

Em 1958, ano das comemorações do Cinquentenário da Colonização Japonesa no Brasil, dois atletas que estavam no topo do Ranking visitaram o pais para uma série de apresentações nos ginásios do Ibirapuera, Pacaembu e em cidades do interior de São Paulo e Paraná.

Ichiro Ogimura havia sido Campeão Mundial em 1954 e 1956, enquanto seu compatriota, Toshiaki Tanaka, levara os títulos de 1955 e 1957. Na época o Tênis de Mesa japonês estava no auge do crescimento e parecia o único capaz de acabar com a supremacia chinesa.

Eis que surgiu então um menino brasileiro que roubou a cena e se tornou a principal atração da festa. Biriba conseguiu vencê-los e a notícia se espalhou rapidamente, o que lhe rendeu uma fama internacional repentina de menino prodígio.

Os céticos, porém, diziam que os japoneses estavam preocupados apenas em se divertir e que as vitórias de Biriba não tinham o mesmo peso, mas o menino calou a todos e confirmou seu talento no Campeonato Mundial de 1959, em Dortmund, levando o Brasil ao sexto lugar no Torneio de Equipes.

Com 15 anos, Biriba conseguiu o que muitos consideram seu maior feito, no Campeonato Mundial da China, em 1961, eliminando o então campeão, o chinês Jung Kuo Tuan, em Pequim, ficando entre os 16 melhores na chave principal.

Agora, sempre fica a pergunta: o que aconteceu depois disso? Quando questionado, Biriba diz que por causa de problemas particulares teve que se afastar do esporte e prefere não entrar em detalhes.

Seja qual for o motivo, pouco importa. Não há como resgatar o passado ou saber até onde Biriba poderia ter chegado. No entanto, não há como apagar da história e um dia um menino brasileiro venceu na China o então Campeão Mundial. Se isso aconteceu há 50 anos, pode acontecer novamente.

Na cerimônia de abertura do Campeonato Brasileiro Intercolonial, com os olhos cheios de lágrimas, Biriba fez questão de lembrar algo que aconteceu há cinquenta anos para agradecer o carinho sempre manifestado pela colônia japonesa.

--- Existem coisas que as pessoas jamais esquecem na vida. Nas comemorações do Cinquentenário da Colonização, na cidade de Marília, eu estava enfrentando um japonês que era campeão mundial e consegui vencê-lo. Foi uma festa danada --- lembrou.

--- A torcida toda estava do meu lado e me carregou nos braços depois do jogo. Foi algo inesquecível. Só tenho a agradecer por essa homenagem cinquenta anos depois. Nunca vou esquecer esse dia na minha vida --- completou.

Biriba recebeu das mãos do Presidente Alaor Azevedo, que também estava visivelmente emocionado, a mesa de vidro em miniatura oferecida pelos organizadores. Aquele menino que surpreendeu o mundo se tornou um senhor admirado e respeitado por todos, que serve de exemplo e inspiração para os mais jovens.

Afinal, não é qualquer um que pode bater no peito e dizer que nunca perdeu uma partida para um jogador Latino-Americano em uma competição oficial na vida. E ainda lembrar que um dia venceu um chinês Campeão Mundial em Pequim.