Fortalecimento da base acelera a evolução do Tênis de Mesa brasileiro

09/11/2013 09:03

A nova geração do Tênis de Mesa masculino está muito bem representada. Na semana passada, Gustavo Yokota ficou com o bronze defendendo a Seleção Latino-americana no Desafio Mundial Hopes, na Eslovênia, mas a cada temporada surgem outros talentos capazes de representar o país em competições internacionais.

A hegemonia do Brasil nas Américas é indiscutível. Sendo assim, as disputas internas acabam se tornando mais acirradas. O aumento da concorrência caseira também obriga que o atleta se dedique cada vez mais aos treinos, pois em uma disputa em alto nível qualquer detalhe faz a diferença. Os resultados das categorias Pré-mirim, Mirim, Infantil e Juvenil do 44º Campeonato Brasileiro mostram o quanto o Tênis de Mesa masculino está bem servido.

No Pré-mirim, o vencedor foi Daniel Godoi (acima), da APTM Joaçaba, atual campeão Sul-americano Sub-11 e Latino Americano por Equipes. Para chegar à Seleção Brasileira, o atleta conquistou o topo do ranking nacional na categoria pré-mirim, sendo campeão em 2013 das edições da Copa Brasil em Brasília, Maceió e Vitória.

No Mirim, quem ficou com a medalha de ouro foi Rafael Torino (acima), revelação do São Caetano, campeão Sul-americano de Duplas, que em junho desse ano participou do Desafio Mundial ITTF Hopes, realizado na Academia Schalger Werner, em Schwechat, na Áustria, terminando entre os oito melhores da competição.

No Infantil, quem conquistou o título foi Vitor Bibiano (esquerda), campeão Latino-americano Sub-13 em 2011, que esse ano ficou com o ouro na edição dos Jogos Escolares da Juventude, que aconteceram em Natal, e no Torneio de Equipes do Aberto de Jovens do Brasil, no Rio de Janeiro, ao lado de Gustavo Yokota.

No Juvenil (direita), considerada a mais equilibrada e concorrida de todas, pois reúne atletas de todas as categorias, que podem se inscrever nas duas porque o regulamento permite, o vencedor foi Massao Kohatsu, Campeão dos Jogos Sul-americanos da Juventude, que aconteceram em setembro, em Lima.

Com poucos anos de diferença para esses jogadores, mas já no grupo de elite do Tênis de Mesa brasileiro, estão Hugo Calderano e Vitor Ishiy, que fizeram a final da Copa Latina e deram esperanças aos meninos mais jovens, que já começam a sonhar com o que antes parecia distante: a seleção adulta.

A Confederação Brasileira de Tênis de Mesa conta com recursos da Lei Agnelo/Piva – Lei de Incentivo Fiscal e Governo Federal– Ministério do Esporte.