Hugo Calderano é a esperança do Brasil para as Olimpíadas de 2016

24/09/2012 14:43

Quem pretende torcer para o tênis de mesa brasileiro na Olimpíada do Rio de Janeiro em 2016 pode começar a se acostumar com um nome: Hugo Calderano. Aos 16 anos, ele lidera o ranking mundial por etapas (que considera apenas os resultados no Circuito Mundial corrente) na categoria juvenil da Federação Internacional de Tênis de Mesa (IFTT, na sigla em inglês). Com 4590 pontos, Calderano surge como o principal jogador da nova safra de mesatenistas do Brasil.

Atleta do São Caetano do Sul, Hugo Calderano começou cedo no esporte, aos oito anos, ainda na época em que morava no Rio de Janeiro. Percebendo o talento do filho, o pai de Calderano tratou de levá-lo para o Fluminense, onde deu a largada para sua promissora carreira.

Comecei brincando com meu pai, na época era pingue-pongue ainda. Aí ele viu que eu levava jeito e me levou para treinar no Fluminense. Fui gostando, gostando, melhorando cada vez mais e continuei no esporte lembra o garoto de fala tímida.

Depois de seis anos nas Laranjeiras, o mesatenista carioca sentiu a necessidade de melhorar seu nível de competição. Para isso, o caminho natural foi São Paulo, estado brasileiro com maior tradição na modalidade e os melhores centros de treinamento. Calderano passou a treinar no São Caetano do Sul, clube que atualmente tem a maior quantidade de atletas na Seleção Brasileira oito nesta convocação para a categoria juvenil.

Àquela altura, Calderano já colecionava alguns feitos marcantes. Em 2008, em sua primeira Olimpíada Escolar, ganhou a láurea de ouro por equipes e terminou em terceiro nas duplas. Um ano depois, seu desempenho foi ainda melhor, com uma medalha dourada no individual e prata nas equipes. Por esses resultados, ele foi o grande vencedor do Prêmio Brasil Olímpico de melhor atleta escolar, em 2009, na categoria entre 12 e 14 anos.

LIDERANÇA DO RANKING E VITÓRIA CONTRA O ÍDOLO

Na escalada rumo à elite da modalidade e a consolidação da carreira, um degrau importante foi superado ano passado. Pela Seletiva do Campeonato Latino-Americano, ele não se intimidou e bateu Hugo Hoyama, dono de dez medalhas de ouro em Jogos Pan-Americanos.

Contra o Hugo Hoyama foi uma boa partida, consegui jogar bem e ganhar dele. Estava muito confiante. Ele me tratou como um adversário, não como um menininho de 15 anos. E, como em qualquer jogo, não ficou muito feliz de ter perdido contou.

Em abril deste ano, mais uma façanha. Calderano foi o primeiro mesatenista brasileiro a liderar o ranking por etapas da IFTT após vencer seu companheiro de equipe, Eric Jouti, na final da etapa argentina do Circuito juvenil masculino.

Fiquei muito feliz quando assumi a ponta do ranking na Argentina, porque não é fácil. Você tem que vencer várias etapas. Foi muito bom para mim afirmou.

ESPERANÇA PARA RIO-2016

Em nome da melhor preparação possível para a Olimpíada em casa, Hugo Calderano vai encarar uma nova mudança em outubro. O mesatenista irá morar na França para treinar com os atletas da seleção europeia, a melhor do continente na categoria juvenil.

Lá, ele vai usufruir da estrutura do INSEP, o principal centro de treinamento olímpico da França.

Estou treinando muito forte para a Olimpíada aqui no Rio. Em outubro vou me mudar para França, e meu nível de treinamento deve subir mais ainda. Espero conseguir fazer o melhor para o Brasil na Olimpíada projetou o garoto.

Enquanto os Jogos Olímpicos não chegam, Calderano está na capital fluminense para competir no Aberto do Brasil Infantil e Juvenil, 23ª etapa do Circuito Mundial de Tênis de Mesa. Na quinta-feira, pela competição por equipes, ele ajudou o Brasil garantir o primeiro lugar na fase de grupos. Primeiro, ele e Eric Jouti venceram o Brasil D, formado por Djalma Ferreira, Caio Lobato e Daniel Carvalho, por 3 a 0; depois, passaram pelos argentinos Fermin Tenti, Hernan Trujillo e Nicolas Galvano, também por 3 a 0.

Lancepress