Letícia segue os passos de Carol e quer ser inspiração para os mais jovens

10/10/2013 08:10

A descendência oriental fez a talentosa Letícia Nakada ter seu primeiro contato com o esporte ainda criança, pois a família tinha uma mesa em casa. A brincadeira passou a se tornar séria a partir dos dez anos, quando a menina participou dos Jogos Escolares e conheceu a também iniciante Caroline Kumahara.

A atual nº 1 do país apresentou Letícia à técnica Mônica Doti, com quem ela começou a treinar em Santo André, cidade que faz parte do ABC Paulista. Assim, o interesse pelo esporte aumentou a cada participação em torneios, como circuitos escolares e ligas nipo-brasileiras. Os resultados lentamente começaram a aparecer, o que a motivou ainda mais.

Com o passar do tempo, Letícia foi ganhando experiência graças a influência de outros profissionais respeitados como Nelson Kusuoka, Hideo Yamamoto, Francisco Arado, o Paco, que sempre a incentivaram e orientaram. Atualmente, Letícia estuda na parte da manhã e treina à tarde em São Caetano do Sul.

Em junho desse ano, Letícia foi a principal surpresa do Aberto do Peru, etapa do Circuito Mundial Infantil e Juvenil promovida pela Federação Internacional de Tênis de Mesa na cidade de Lima. Mesmo ainda como idade para competir como infantil, roubou a cena ao conquistar a medalha de ouro na competição juvenil, superando na final a porto-riquenha Melanie Diaz.

A tendência natural é que Letícia continue evoluindo e se torne uma atleta de alto nível quando chegar a fase adulta, com condições de representar o país em campeonatos mundiais e Jogos Olímpicos, assim como faz a amiga Caroline Kumahara, que a tem como uma espécie de filha, mesmo com a diferença de idade entre as duas sendo de apenas três anos.

Mesmo ainda menina, Letícia tem a consciência de que os atletas exercem um papel fundamental de espelho para crianças e jovens e sabe da responsabilidade que terá pela frente.

--- Sempre admirei atletas que, além do ótimo desempenho no esporte, também são referências para a sociedade em termos de ética e dedicação. Quando chegar minha hora também quero ser referência para os mais novos --- afirmou a menina, que pelo visto já começou muito bem, se tornando exemplo de superação para toda delegação brasileira que competiu nos Jogos Sul-Americanos da Juventude, em Lima, no Peru.

Na noite anterior a fase decisiva da competição, Letícia passou mal às 2 horas da madrugada e teve que ser atendida no quarto pela equipe do Comitê Olímpico Brasileiro, mas os medicamentos não fizeram efeito. No dia seguinte, às 9.30h, ela entrou na mesa praticamente sem condições físicas, mas com muita inteligência conseguiu duas vitórias e se classificou para a final.

Praticamente sem forcas, por não ter comido nada no café da manhã, Letícia lutou até o final com muita garra e determinação, mas acabou sendo derrotada por Francesca Vargas na decisão, por 4 a 3.

--- Tenho certeza de que foi um grande aprendizado para Leticia, pois ela conseguiu se adaptar a uma tática diferente de seu estilo de jogo para conseguir vencer, por este motivo acho que foi um excelente torneio --- elogiou o técnico Reinaldo Yamamoto.

PING-PONG COM LETÍCIA NAKADA

CBTM - Qual você julga ser sua maior qualidade?

Letícia - Acredito ser a dedicação e o otimismo com o futuro.

 

CBTM - E seu maior defeito?

Letícia - Ah! São muitos, mas acho que sou impaciente comigo mesma.

 

CBTM - Quem você gostaria de ser se não fosse você?

Letícia - Tenho admiração por muitas pessoas. É difícil reunir tantas qualidades em uma única pessoa.

 

CBTM - Qual é o lema da sua vida?

Letícia - Saúde em primeiro lugar.

 

CBTM - Defina-se em uma palavra.

Letícia - Alegria

 

JOGO RÁPIDO

Tem algum apelido? - Lets

O que costuma ver quando está em casa? - Seriados

Comida favorita - Temaki

Quem te inspira? - Minha mãe

Livro que está lendo - Quem mexeu no meu queijo?

O que tem tocado no seu Iphone? - So what

Qual o seu perfume favorito? - Oh, Lola!

Tem algum hábito para antes de cada jogo? - Eu costumo dobrar a toalha e colocar a raquete no meio, tem uma camiseta da seleção, que não gosto de usar, dizem que dá azar...melhor previnir.

Para qual time torce? - Corinthians

Momento mais feliz: - A conquista do campeonato latino-americano

Momento mais triste - A perda dos meus avós paternos

Sonho - Ser uma grande atleta olímpica

Defina o Tênis de Mesa em poucas palavras – Velocidade e precisão.