Mesa-tenistas brasileiros encerram a participação no Mundial Juvenil da Austrália

08/12/2018 10:54

Técnico Jorge Fanck faz análise de pontos positivos na participação brasileira e acredita em crescimento nas próximas competições

 

Bendigo (AUS), 8 de dezembro de 2018.

Por: Assessoria de Comunicação – CBTM

O Brasil encerrou na madrugada deste sábado (8) a participação no Campeonato Mundial Juvenil, em Bendigo, na Austrália. Com as derrotas de Bruna Takahashi, nas oitavas de final do torneio individual, e das duplas Bruna Takahashi/Lívia Lima e Guilherme Teodoro/Rafael Torino, o país não tem mais representantes no torneio, que termina na madrugada de domingo.

As duplas não tiveram participação longa, sendo ambas eliminadas na fase de 32. Bruna Takahashi e Lívia Lima foram superadas pela parceria indiana Swastika Ghosh e Prapti Sen, por 3 a 1 (12/10, 9/11, 5/11 e 4/11). Pouco depois, no masculino, Guilherme Teodoro e Rafael Torino chegaram a estar vencendo os russos Maksim Grebnev e Lev Katsman, mas acabaram batidos por 3 a 2 (6/11, 14/12, 13/11, 8/11 e 5/11).

No individual, Bruna teve um duríssimo desafio nas oitavas de final, contra a japonesa Satsuki Odo, número 58 do ranking mundial adulto e sexta do ranking Sub-21. Acabou derrotada por 4 a 0 (6/11, 7/11, 9/11 e 9/11).

Pontos positivos

O técnico Jorge Fanck considera que a participação do Brasil teve alguns pontos positivos: “A equipe feminina repetiu a 12ª colocação do Mundial de 2017 e teve boas atuações contra todos os adversários. Os meninos conseguiram melhorar uma posição, terminando este ano em 14º. Tivemos condições de vencer a Polônia na fase de grupos, o que nos daria uma oportunidade de disputar melhores colocações. Logo depois, um grande jogo contra Alemanha. Apesar dos 3 a 0, todos os jogos foram 3 a 2 e com match point para nós em dois deles”.

O treinador citou também o alto nível da competição na Austrália e a mudança na fórmula de disputa como fator de aumento das dificuldades: “Nas disputas individuais a concorrência estava bem forte. Como apenas um atleta avançava, uma derrota no primeiro jogo já complicava demais a possibilidade de classificação. Eduardo Tomoike teve o melhor desempenho, ficando em segundo no seu grupo. Bruna, novamente, teve uma excelente atuação e chegou às oitavas de final. Pegou pela frente uma atleta muito forte do Japão e apesar do bom enfrentamento, não conseguiu superar este desafio”.

Por fim, Fanck fez uma análise geral da participação brasileira: “Em linhas gerais, fizemos ótimos enfrentamentos contra muitos adversários. Com um pouco mais de experiência em grandes eventos e disputando torneios contra europeus e asiáticos, acredito que nosso desempenho possa melhorar bastante. Foi um campeonato bem forte, serviu de aprendizado e amadurecimento para esta equipe, tendo em vista que apenas a Bruna está no último ano de juvenil, todos os meninos ainda têm mais um ano na categoria, a Livia está em seu primeiro ano na categoria e a Giulia ainda é mirim”.

 

A Confederação Brasileira de Tênis de Mesa conta com recursos da Lei Agnelo/Piva (Comitê Olímpico do Brasil e Comitê Paralímpico Brasileiro) - Lei de Incentivo Fiscal e Governo Federal - Ministério do Esporte.
 

FATO&AÇÃO COMUNICAÇÃO

Assessoria de Comunicação da Confederação Brasileira de Tênis de Mesa - CBTM

Claudia Mendes – claudia@fatoeacao.com

Nelson Ayres – nelson@fatoeacao.com

imprensa@cbtm.org.br

fatoeacaocomunicacao@gmail.com

                                                         

Siga a CBTM nas redes sociais:
 
FACEBOOK:
 www.facebook.com/cbtenisdemesa

TWITTER: www.twitter.com/cbtm_tm

INSTAGRAM: @cbtenisdemesa