No tênis de mesa do Amazonas, mulheres dominam Comissão Disciplinar

22/09/2018 15:23

Comissão Disciplinar do TJD do Amazonas é composta apenas por mulheres. Experiência das auditoras começou no futebol

 

Manaus (AM), 22 de setembro de 2018.

Por: Assessoria de Comunicação – CBTM

O tênis de mesa do Amazonas deu dois grandes passos nesta semana. O primeiro, por cumprir regiamente a determinação de ter uma Comissão Disciplinar, além do Pleno do TJD, para julgar as possíveis infrações cometidas no esporte local. O segundo passo chama a atenção ainda mais. A nova Comissão, empossada pelo presidente do Tribunal, dr. Edson Rosas, é formada exclusivamente por mulheres.

A Comissão tem como presidente Márcia Fabiolla Ferreira, além das auditoras Cássia Loren, Ana Esmelinda Menezes, Ketlen Roque dos Anjos e Tássia Raquel. A secretária é Larissa Ponce Guimarães. Elas já tinham experiência no futebol. Desde 2016, as auditoras formam a Segunda Comissão Disciplinar do TJD. Neste período, sofreram para se impor em um meio reconhecidamente machista.

“No início, as pessoas não nos viam com bons olhos. Achavam que mulher não entendia de futebol. Precisamos entender das nuances do esporte e temos que conhecer profundamente o direito desportivo. Atualmente, a situação é bem diferente. O pessoal tem até medo de cair na nossa Comissão, pois sabe que terá um julgamento bem fundamentado”, explica a presidente.

Elas não passaram imunes ao preconceito nestes dois anos. Márcia Fabiolla lembra de um caso onde sofreram ataques, unicamente por serem mulheres.

“Eu ainda era auditora e a nossa Comissão suspendeu um dirigente de clube por 360 dias. Estava bem clara a infração ao Código (Brasileiro de Justiça Desportiva). Sofremos todo o tipo de represália nas mídias sociais”, lembra.

Tradicionalmente, o tênis de mesa não costuma ter um grande número de infrações disciplinares, muito por não ser um esporte de contato. A Comissão ainda não julgou nenhum caso. Mas elas garantem: estão preparadas para punir quem sair da linha.

 

A Confederação Brasileira de Tênis de Mesa conta com recursos da Lei Agnelo/Piva (Comitê Olímpico do Brasil e Comitê Paralímpico Brasileiro) - Lei de Incentivo Fiscal e Governo Federal - Ministério do Esporte.
 

FATO&AÇÃO COMUNICAÇÃO

Assessoria de Comunicação da Confederação Brasileira de Tênis de Mesa - CBTM

Claudia Mendes – claudia@fatoeacao.com

Nelson Ayres – nelson@fatoeacao.com

imprensa@cbtm.org.br

fatoeacaocomunicacao@gmail.com

                                                         

Siga a CBTM nas redes sociais:
 
FACEBOOK:
 www.facebook.com/cbtenisdemesa

TWITTER: www.twitter.com/cbtm_tm

INSTAGRAM: @cbtenisdemesa