Projeto da CBTM contribui para a massificação e o desenvolvimento do esporte

19/04/2013 17:05

Para garantir o sucesso do Sacando para o Futuro, uma das mais importantes ações da CBTM, profissionais de Educação Física foram selecionados e tiveram que fazer o curso Nível I da ITTF promovido pelo especialista Nelson Machado.

No Ginásio Experimental Carioca, no bairro do Jacaré, uma das 30 instituições espalhadas pelo Rio de Janeiro que já são atendidas pelo projeto, quem comanda as atividades é a professora Elaine Sá, supervisionada por Eduardo Oliveira (foto).

Praticante de Tênis de Mesa há mais de 20 anos, Eduardo conhece bem os segredos da modalidade e também é técnico do Madureira, um dos mais tradicionais clubes do Rio de Janeiro, mas fez questão de destacar a importância do investimento feito pela CBTM na formação da equipe que trabalha no projeto.

--- O curso promovido pelo nosso querido Nelson Machado foi imprescindível para os supervisores porque nós aprendemos a ensinar. Sou mesatenista, mas precisava de uma didática melhor para passar aos alunos. É preciso ter uma técnica para orientar também os professores --- destacou Eduardo.

--- Aqui no GEC Rio de Janeiro as atividades são comandadas pela professora Elaine, que também fez o curso de capacitação. Temos apenas um problema, precisamos montar e desmontar as mesas sempre porque não é um espaço apenas para o Tênis de Mesa, mas ela tem realizado um trabalho muito bom --- completou.

O Supervisor lembrou também da importância do projeto Sacando para o Futuro para o desenvolvimento e a massificação do Tênis de Mesa, já que os alunos que antes se divertiam apenas com o tradicional ping-pong agora possuem a chance de se aprofundarem em uma modalidade Olímpica.

--- Esse projeto é muito importante porque ajuda a divulgar o Tênis de Mesa. Um aluno vai falando para o outro e a cada dia aparecem novos interessados. Geralmente nas escolas vemos apenas o ping-pong, mas graças a esse projeto os alunos têm a oportunidade de conhecerem as regras e os fundamentos – garantiu Eduardo, que também é responsável pelos colégios Silveira Sampaio, Dyla de Sá, Gilberto Amado, Coelho Neto e Rodrigues da Silveira.

A Confederação Brasileira de Tênis de Mesa conta com recursos da Lei Agnelo/Piva – Lei de Incentivo Fiscal e Governo Federal – Ministério do Esporte.

Leia também:

Número de interessados na prática do Tênis de Mesa supera expectativas

Tênis de Mesa está entre as disciplinas mais procuradas no GEC Rio de Janeiro

Alunos do Jacaré aprovam os materiais fornecidos pela CBTM

Mais de mil crianças já são beneficiadas pelo Sacando para o Futuro