Projeto ajuda na ressocialização de detentos através do esporte no Amapá

07/10/2013 12:41

O corredor do Centro de Custódia Especial do IAPEN/AP-CCE nunca mais será mesmo. Um novo som invadiu o prédio onde Servidores da Segurança pública cumprem suas penas. O ping pong da bolinha celebrou uma nova era na vida dos apenados que há muito clamavam por atividades que pudessem reduzir o ócio do dia a dia do sistema carcerário.

O Coordenador do CCE, Sr. Netanias Maciel, formalizou na sexta-feira, dia 04 de outubro, o lançamento do primeiro núcleo de Tênis de Mesa dentro do sistema penitenciário do Amapá, quiçá do Brasil.

--- Não tenho conhecimento de um projeto igual em todo o Brasil, as entidades desportivas raramente abraçam ações sociais dentro das penitenciárias, por isso que daremos total apoio nesta ousada e corajosa iniciativa da Federação de Tênis de Mesa, nossos internos são oriundos da segurança pública do Estado e não contavam com nenhuma atividade esportiva para aliviar o estresse. Vê-los, empolgados, treinando uma modalidade olímpica em evidência no Estado, planejando torneios internos; gera uma nova perspectiva de relacionamento dentro do sistema carcerário. Estamos ansiosos pelas novas avaliações psico-sociais pós tênis de mesa, pois acreditamos de verdade que esta oportunidade de ressocialização produzirá os resultados esperados --- comentou o Coordenador do CCE.

Os equipamentos foram doados pela Federação do Amapá, que disponibilizou uma mesa e bolas, e pela CBTM, que apoiou o projeto enviando redes e raquetes. Os internos suaram a camisa neste primeiro contato e já foi possível perceber grande habilidade nos novos alunos do mesatenismo amapaense, cuja responsabilidade de preparar os futuros campeões da vida foi atribuída ao Técnico ITTF II Darlan Zacheu, que entre teorias e práticas “prendeu” com louvor a atenção dos internos por mais de duas horas.

---- Literalmente eles estão resgatando o direito a liberdade pelas próprias mãos que um dia, por alguma infelicidade, os privaram do convívio social. Vou me doar para este projeto, tenho um irmão que passa por esta situação e minha família sente na pele os resultados de uma vida dentro das celas, quero ajuda-los a recuperar a auto estima e prepará-los para atuarem nos eventos da Federação, assim, cumpro meu papel de cidadão e colaboro com o resgate do direito a liberdade dos internos --- disse Darlan.

Os treinamentos aconteceram incialmente três dias na semana, com duas horas de duração, e contarão, também, com a participação do atleta e estudante de educação física Raí Barros. O próximo passo da parceria será o lançamento do segundo núcleo mesatenístico, desta feita, dentro do próprio IAPEN, extensivo aos detentos de todos os regimes que farão cursos de arbitragem e clínicas de iniciação que ajudaram na remissão de suas penas e brevemente terão nas mãos as raquetes fabricadas pelos próprios internos na marcenaria do Instituto.

--- Estou muito orgulhoso com este novo trabalho da FTMA, é diferente de tudo que já vivi na modalidade, fazer parte de um núcleo esportivo entre as celas do Centro de Custódia me engrandeceu enquanto ser humano e me fortalece ainda mais no caminho da massificação da modalidade para todos os públicos possíveis dentro do nosso Amapá. Reencontrei colegas de trabalho e pude abraçá-los novamente, receber seus agradecimentos pelo projeto significou muito pra mim, uma emoção forte e indescritível --- avaliou o Presidente da FTMA Alan Cardoso

--- Agradecimento especial a CBTM pelo apoio nesta ação e a toda equipe do CCE/IAPEN que possibilitou a implantação deste brilhante trabalho social desportivo --- completou Alan.

A Confederação Brasileira de Tênis de Mesa conta com recursos da Lei Agnelo/Piva – Lei de Incentivo Fiscal e Governo Federal – Ministério do Esporte.