Recebido por todos os presidentes desde Collor, Hugo cogita virar político

08/03/2012 09:47

Hugo Hoyama conseguiu, na última segunda-feira, vaga para a sua sexta Olimpíada consecutiva.

A experiência como atleta lhe rendeu, ao longo do tempo, alguns benefícios. Depois de conhecer pessoalmente todos os presidentes brasileiros desde Fernando Collor, Hugo Hoyama brinca com a situação e diz que até cogita entrar na política.

“Outro dia eu fui no [programa do apresentador] Faustão e ele disse que eu era o futuro prefeito de São Bernardo. Eu tive a oportunidade de me candidatar em 2008 a vereador, mas acabou não dando certo. Por enquanto ainda não é a minha ideia, mas se eu entrasse seria para ajudar”, disse Hugo Hoyama em entrevista ao UOL Esporte.

A possibilidade de virar político surgiu quando ele passou a reunir-se com frequência com o então ministro Orlando Silva Jr. durante uma campanha para que o esporte recebesse 1% do orçamento da União. Hugo Hoyama acabou filiando-se ao PC do B, mas decidiu não levar a ideia adiante até para poder seguir com seus treinos normalmente.

A carreira na política é apenas uma possibilidade, mas familiaridade com os grandes nomes do setor não lhe falta. Hugo Hoyama frequenta grandes competições desde 1987, quando competiu no Pan de Indianápolis, nos EUA. Ao todo, são sete Pans e seis Jogos Olímpicos, já contando com a recém-adquirida vaga em Londres.

Em quase todas essas viagens, Hugo Hoyama foi recepcionado, ao lado de uma parte da delegação brasileira, pelos presidentes em Brasília. Ele conheceu pessoalmente Fernando Collor, Itamar Franco, Fernando Henrique Cardoso, Lula e Dilma Rousseff.

APOSENTAR? NEM PENSAR

“Todo mundo me pergunta isso. Dá vontade [de continuar], ainda mais que em 2016 vai ser no Rio. Sempre falo que vou continuar jogando. Aí, quando chegar mais perto vou decidir. Não quero definir nada agora”, diz Hugo Hoyama, taxativo.

“Em 2007 foi engraçado, porque depois do Pan do Rio de Janeiro nós fomos encontrar o Lula em Brasília e eu fui o orador, representando os atletas. Depois que eu falei, sentei na primeira fila, perto do Lula e da Marta Suplicy, que era ministra do Turismo na época”, lembrou ele.

As visitas a políticos são, claro, apenas um trecho pequeno da memória olímpica do mesa-tenista, que vai igualar o recorde de Torben Grael e tornar-se o brasileiro que mais vezes foi aos Jogos Olímpicos.

Em todas as suas passagens, Hugo Hoyama lembra com carinho da amizade criada com o nadador Gustavo Borges, com quem rivalizou pelo número de medalhas em Pans, e do dia em que tietou Kobe Bryant.

“Eu não sou muito de ficar atrás desses caras mais famosos, mas fiz isso com o Kobe Bryant. Antes mesmo de ele jogar lá, eu já era fã do [Los Angeles] Lakers [time da NBA]. Ele estava sempre perto do prédio do Brasil na Vila. Aí eu fui lá e tirei a foto. Aliás, eu fui o último, porque lembro do assessor dele pedir para pararem”, lembrou Hugo Hoyama.

UOL, em São Paulo