Notícia

Chuva de medalhas brasileiras no Campeonato Mundial Paralímpico, na Espanha

Lucas Arabian e Paulo Salmin conquistaram o bronze no individual; Sophia Kelmer e Cátia Oliveira estão na semifinal; Bruna Alexandre está a um jogo de medalhar

Focada, Sophia Kelmer avançou à semifinal da Classe 8. Foto: André Soares/CBTM

Por Nelson Ayres e Henrique Porto (Fato&Ação) – Assessoria de Imprensa CBTM

10/11/2022 06h53


A previsão do tempo em Granada, na Espanha, aponta para uma chuva de medalhas brasileiras. Mais precisamente na região do Granada City Sports Hall, que está recebendo os jogos do Campeonato Mundial Paralímpico de Tênis de Mesa. Nesta quinta-feira (10), os mesa-tenistas brasileiros garantiram quatro presenças no pódio, nas competências individuais. Lucas Arabian (Classe 5) e Paulo Salmin (Classe 7) foram medalhistas de bronze, enquanto Sophia Kelmer e Cátia Oliveira carimbaram suas passagens às semifinais das Classes 8 e 4, respectivamente. Jogam nesta sexta-feira (11) por vagas na decisão e, caso derrotadas, já tem o bronze assegurado.

“Sinto que a minha vida toda eu me preparei para este momento e, com catorze anos já estou numa semifinal de Campeonato Mundial. É um feito sensacional”, descreveu Sophia Kelmer, que foi à mesa por duas vezes nesta quinta-feira. A primeira logo pela manhã, para vencer Lucie Hautiere, da França, em 3 sets a 0 (11/5, 11/7 e 11/4). Isso pelas oitavas de final. A segunda foi no fim da tarde, quando eliminou nas quartas de final a Suwarti Suwarti, da Indonésia, após cinco emocionantes sets (11/8, 7/11, 11/9, 10/12 e 11/5).

No jogo contra Suwarti, Sophia teve um ponto do jogo a seu favor no quarto set, mas acabou tomando a virada. Se recuperou e não deu chances à adversária na parcial seguinte, creditando seu sucesso à preparação mental. “Um dos meus pontos fortes sempre foi a questão mental. Para mim é sempre como se estivesse 0 a 0, como se estivesse no início do jogo”, relatou.

E depois do ponto decisivo, a concentração abriu espaço para a emoção. “É surreal. Você precisa ter a cabeça no lugar para fazer o seu melhor em cada, mas no match point não tem como, a emoção toma conta. Comemorei muito, não tem sensação melhor”, descreveu. A semifinal contra a norueguesa Aida Dahlen está agendada para iniciar às 12h (de Brasília) desta sexta-feira.

Cátia Oliveira, da Classe 2, despachou a australiana Hayley Sands nas quartas de final e garantiu a sua segunda medalha na Espanha. Também será a sua segunda medalha individual na história do Campeonato Mundial, repetindo o feito de 2018, na Eslovênia. Triunfou por tranquilos 3 sets a 0, com parciais de 11/7, 11/1 e 11/8.

“Foi muito importante essa vitória. Eu estava tensa, travada e agora vou me soltar para ir atrás deste ouro”, comentou. “Estou muito feliz de, em mais um Campeonato Mundial, levar uma medalha individual para casa. Agora é descansar, analisar algumas coisas e amanhã tem mais”, disse. Nesta sexta-feira ela decide a vaga na final contra a italiana Giada Rossi, a partir das 12h.

Quem segue na briga pela medalha é Bruna Alexandre, da Classe 10, que hoje venceu a sueca Anja Handen por 3 sets a 0. As parciais do jogo válido pelas oitavas de final foram de 11/4, 11/6 e 11/8. Pelas quartas de final, a catarinense mede forças com Umran Ertis, da Turquia, a partir das 7h30. Ouro na dupla mista, Bruna está a apenas uma vitória de conquistar mais uma medalha na competição.

Medalha que Lucas Arabian já havia garantido ontem, na Classe 5. Hoje voltou à mesa para saber de qual metal ela seria. Acabou com o bronze, depois de um jogo muito equilibrado contra Ali Ozturk, da Turquia, decidido em cinco sets. Arabian saiu atrás nas duas primeiras parciais, reagindo nas seguintes, levando o jogo para o set de desempate, que acabou na mão do turco por apenas três pontos (7/11, 6/11, 11/9, 11/6 e 8/11).

Medalhista de ouro na dupla mistas, Paulo Salmin conquistou sua segunda medalha na Espanha. Desta vez o bronze individual da Classe 7, após ser superado na semifinal pelo britânico William Bayley, por 3 sets a 0 (11/4, 11/7 e 11/7). Antes, pela manhã, havia triunfado sobre o eslovaco Miroslav Jambor, também por 3 a 0, nas quartas de final.

Na Classe 7, Israel Stroh ficou a uma vitória de subir no pódio. Pelas quartas de final, foi superado pelo polonês Maksym Chudzicki em 3 sets a 1 (11/7, 7/11, 8/11 e 7/11). Outro polonês a atrapalhar os planos dos brasileiros foi Patryk Chojnowski, que marcou 3 sets a 0 em Claudio Massad nas oitavas de final da Classe 10 (11/2, 11/4 e 11/4).

Guilherme Costa foi outro que chegou muito próximo de medalhar, na Classe 2. Acabou derrotado nas quartas de final em 3 sets a 1 por Fabien Lamirault, da França (8/11, 11/9, 7/11 e 4/11). Luiz Manara ficou nas oitavas, após ser eliminado por Aaron Mc Kibbin, da Grã-Bretanha. A derrota foi por 3 sets a 0 teve como parciais 11/8, 11/3 e 11/6. Também pelas oitavas, Lethicia Lacerda foi superada pela francesa Thu Kamkasomphou em 3 sets a 1 (7/11, 4/11, 11/7 e 8/11).

De momento, o Brasil soma quatro medalhas no Campeonato Mundial Paralímpico de Tênis de Mesa, competição que encerra no próximo sábado (12). Bruna Alexandre e Paulo Salmin foram ouro na dupla mista, Cátia Oliveira e Marliane Santos bronze na dupla feminina, enquanto Lucas Arabian e Paulo Salmin garimparam o bronze no individual. E com a previsão de chuva de medalhas se mantém nesta sexta-feira em Granada.

Confederação Filiada

Parceiro Oficial

Jogo Limpo

Patrocinadores

Apoiadores

Eventos
Calendário
Área de Filiados
Desenvolvimento
Universidade do Tênis de Mesa
Escolas de Treinadores
Escolas de Árbitros e Oficiais
Escola de Gestão
Certificações