Notícia

Lucas Arabian é semifinalista do Campeonato Mundial Paralímpico

Mesa-tenista brasileiro já garantiu – no mínimo – a medalha de bronze em Granada, na Espanha; seis brasileiros estreiam na competição individual nesta quinta-feira (10)

Lucas Arabian celebra a vaga na semifinal do Campeonato Mundial Paralímpico. Foto: André Soares/CBTM

Por Nelson Ayres e Henrique Porto (Fato&Ação) – Assessoria de Imprensa CBTM

09/11/2022 07h15


O dia foi profícuo para os brasileiros no Campeonato Mundial Paralímpico de Tênis de Mesa. Nesta quarta-feira (9), Lucas Arabian garantiu a sua passagem à semifinal da competição individual na Classe 5. Isso significa que o mesa-tenista já assegurou, no mínimo, a medalha de bronze. “Não tenho palavras, ainda não me caiu a ficha”, reconheceu. Mas ele quer mais e volta à mesa nesta quinta-feira (10), na espanhola Granada, atrás de uma vaga na final. Encara o turco Ali Ozturk, a partir das 6h (de Brasília), no Granada City Sports Hall.

Para chegar à semifinal, Arabian venceu na manhã desta quarta-feira (9) o britânico Jack Hunter Spivey, por 3 sets a 1. As parciais forma de 5/11, 11/5, 11/9 e 11/8. “Cheguei até aqui e consegui fazer o meu jogo. Por isso gostaria de agradecer a todos que torceram e me ajudaram”, enalteceu. “Agora é esfriar a cabeça, refletir sobre o que aconteceu neste jogo contra o Spivey e ir com tudo para a semifinal”, acrescentou.

Em partida emocionante contra o italiano Federico Crosara, Guilherme Costa foi mais um a avançar na competição e agora está nas quartas de final. Isso na Classe 2. A vitória por 3 sets a 2 foi construída de virada, com as parciais de 10/12, 8/11, 16/14, 11/5 e 11/6. Seu adversário será o francês Fabien Lamirault, em partida prevista para iniciar às 14h15 desta quinta-feira.

Os dois brasileiros da Classe 7 também avançaram na disputa e estão nas quartas de final. Paulo Salmin despachou o tailandês Chalermpong Punpoo por 3 a 2, com parciais de 11/8, 7/11, 11/7, 2/11 e 11/9. Israel Stroh obteve um triunfo mais tranquilo sobre o eslovaco Luka Trtnik, em sets diretos, com parciais de 11/9, 11/4 e 11/9.

“Não que o bicho não pegasse antes, mas agora só sobrou grandes jogadores”, ponderou Stroh. “São adversários que a gente almeja, que a gente estuda e que respeita muito”, disse. Salmin agora encara o eslovaco Miroslav Jambor, nesta quinta-feira, a partir das 5h15. Stroh terá pela frente o polonês Maksym Chudzicki, a partir das 10h.

Stroh teve um combustível especial no seu jogo, uma motivação adicional para vencer a partida. “Foi uma vitória especial, porque hoje comemoro três anos de namoro com a minha noiva e eu jogo por ela, pela história que queremos construir”, romantizou.

A quinta-feira marca a estreia de seis brasileiros na competição individual. São eles Bruna Alexandre (às 12h45, contra Anja Handen, da Suécia, pela Classe 10), Cátia Oliveira (às 15h, contra Hayley Sands, da Austrália, pela Classe 2), Sophia Kelmer (às 5h15, contra Lucie Hautiere, da França, pela Classe 8), Lethicia Lacerda (às 6h15, contra Thu Kamkasomphou, da França, pela Classe 8), Claudio Massad (às 9h, contra Patryk Chojnowski, da Polônia, pela Classe 10) e Luiz Manara (às 12h45, contra Aaron Mc Kibbin, da Grã-Bretanha, pela Classe 8).

Enquanto Arabian chegou na medalha, outros brasileiros ficaram muito perto do feito. São os casos de Thais Severo, Aline Ferreira, Jennyfer Parinos e Danielle Rauen, que pararam a apenas um triunfo da conquista, caindo nas quartas de final. Competindo pela Classe 3, Thais foi superada por Andela Muzinic, da Croácia, por 3 sets a 1 (4/11, 13/11, 5/11 e 8/11).

Na Classe 7, Aline foi derrotada nas quartas de final por Kelly Van Zon, da Holanda, por 3 sets a 0 (11/2, 11/6 e 11/1). Na Classe 9, Jennyfer foi parada pela húngara Alexa Szvitacs em 3 sets a 1 (11/13, 7/11, 11/8 e 6/11), enquanto Danielle caiu para a polonesa Karolina Pek em 3 sets a 2 (5/11, 14/12, 7/11, 12/10 e 3/11).

Na Classe 2, Iranildo Espindola parou nas oitavas de final. Foi derrotado pelo francês Fabien Lamirault por 3 sets a 1, com parciais de 11/8, 7/11, 8/11 e 7/11. Na Classe 3, Marliane Santos ficou na eslovaca Alena Kanova, também nas oitavas de final. Lutou bastante, mas acabou superada em 3 sets a 2, com parciais de 3/11, 7/11, 11/8, 11/8 e 6/11. E na Classe 11, Evellyn Pereira deu muito trabalho à polonesa Krystyna Lysiak, mas acabou superada em 3 sets a 2. As parciais foram de 11/8, 12/14, 9/11, 11/5 e 11/13, novamente nas oitavas de final.

Confederação Filiada

Parceiro Oficial

Jogo Limpo

Patrocinadores

Apoiadores

Eventos
Calendário
Área de Filiados
Desenvolvimento
Universidade do Tênis de Mesa
Escolas de Treinadores
Escolas de Árbitros e Oficiais
Escola de Gestão
Certificações